quarta-feira, 26 de maio de 2010

No silêncio dos olhos



Em que língua se diz, em que nação,
Em que outra humanidade se aprendeu
A palavra que ordene a confusão
Que neste remoinho se teceu?
Que murmúrio de vento, que dourados
Cantos de ave pousada em altos ramos
Dirão, em som, as coisas que, calados,
No silêncio dos olhos confessamos?


José Saramago

3 comentários:

  1. Perfeita sua escolha minha amiga Silvia. Genial o poema. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Saramago é muito bom e esse poema, excepcional!!! Bjssss

    ResponderExcluir
  3. Olá querida
    Já li alguns livros de Saramago, gostei.
    Com muito carinho BJS.

    ResponderExcluir

Adoro saber tua opinião!
Obrigada por participar.